O Profeta Muhammad

Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso

Louvado seja Allah o Senhor do Universo, paz e bênçãos de Allah estejam sobre o Profeta Muhammad, seus companheiros, seus familiares e seus seguidores até ao Dia do Juízo final.

Allah diz: (E não te enviamos senão como misericórdia para a humanidade). 21:107

Allah ainda diz: (Em verdade, Muhammad não é o pai de nenhum de vossos homens, mas sim o Mensageiro de Allah e o prostremos dos profetas; sabei que Allah é Onisciente). 33:40.

Allah ainda diz: (E de quando Jesus, filho de Maria, disse: Ó israelitas, em verdade, sou o mensageiro de Allah, enviado a vós, corroborante de tudo quanto a Tora antecipou no tocante às predições, e alvissareiro de um Mensageiro que virá depois de mim, cujo nome será Ahmad (Muhammad)! Entretanto, quando lhes foram apresentadas as evidências, disseram: Isto é pura magia)! 61:06.

Sua descendência

Muhammad Filho de Abdullah Filho de Abdul Muttalib [Shaibah] Filho de Hashim Filho de Abdu Manaf Filho de Mudwar Filho de Kilab Filho de Murrah Filho de Kaab Filho de Lu`ai Filho de Ghalib Filho de Fihr Filho de Malik Filho de Annadwr Filho de Kinanah Filho de Khuzaimah Filho de Mudirikah Filho de Ilyass Filho de Mudwar Filho de Nazar Filho de Maad Filho de Adnan Filho de Ádad Filho de Muqawwam Filho de Náhuir Filho de Tairih Filho de Yaarab Filho de Yashdjib Filho de Thabit Filho de Ismael Filho de Abraão que a paz esteja com ele.Consta nos ditos do Profeta Muhammad que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele, diz: (Certamente que Allah escolheu dos filhos do Abraão, Ismael, e escolheu do Ismael, Kinanah, e escolheu de Kinanah, Kuraish, e escolheu de Kuraish, Filhos de Hasim, e escolheu-me de filhos de Hashim, portanto, sou melhor, do melhor do melhor.)Relatado por Muslim.

Nascimento do Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele

Foi nesse meio ambiente e nessas condições de vida que no ano 570, nasceu o Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, seu pai, Abdullah, havia falecido algumas semanas antes, e foi seu avô que se encarregou de criá-lo, de acordo com os costumes da época, a criança foi confiada aos cuidados de uma ama de leite beduína, com quem passou alguns anos no deserto.

Todos os seus biógrafos afirmam que o Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, quando infante mamou somente de um seio da sua ama, deixando o outro para o sustento do seu meio-irmão, quando a criança foi trazida de volta ao lar, sua Amina, levou-a aos seus tios maternos, na cidade de Madinah.

Durante a viagem de retorno, ele perdeu a mãe, que sucumbiu de morte repentina, em Makkah, outra desolação o aguardava, o falecimento do seu afetuoso avô, submetido a tais privações aos oito anos de idade, ele se viu finalmente entregue aos cuidados do seu tio, Abu Talib, um homem generoso por natureza, mas cujos recursos estavam sempre aquém até das necessidades da sua própria família.

O jovem Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, se viu portanto, diante da necessidade de procurar imediatamente um meio de ganhar a vida; serviu, inicialmente, como menino pastor para alguns vizinhos. Com Dez anos, acompanhou o seu tio a Síria, quando este levou uma caravana para lá, não se mencionam quaisquer outras viagens de Abu Talib, mas existem referências de que ele teria aberto um negócio em Makkah, e é possível que Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, o tenha ajudado também nesse empreendimento.

Aos vinte e cinco anos de idade, Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, havia-se tornado bem conhecido na cidade, por sua integridade, disposição e honestidade de caráter, uma viúva rica, Khadija era seu nome, ela o contratou a seu serviço e determinou-lhe que levasse as suas mercadorias, para vendê-las na Síria. Feliz com os lucros incomuns que ele obteve, bem como encantada com o carisma pessoal do seu agente, ela ofereceu-lhe a sua mão, diz-se que na época ela tinha quarenta anos de idade, a união foi feliz, mais tarde, vêmo-lo às vezes na feira de Hubacha (no Iêmen), e pelo menos uma vez no país dos Abd Al Kais (Bahrain e Omã), como foi mencionado por Ibn Hanbal.

Há motivos para acreditar que esta referência diz respeito ao grande mercado de Dabá (Omã) onde, de acordo com Ibn Al Kalbi, se reuniam, todos os anos, os mercadores da China, do Hindi e Sind (Índia e Paquistão), da Pérsia, do Oriente. Um sócio comercial de Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, em Makkah, de nome Sa’ib relata: ”Revezávamos um ao outro; se Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele liderava a caravana, não ia para casa, ao retornar, sem antes acertar as contas comigo, e se era eu que liderava a caravana, quando voltava, ele perguntava sobre o meu bem estar, sem nada dizer do capital que me estava confiado.”

Início da Conscientização Religiosa

Pouco se sabe sobre os hábitos religiosos de Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, até seus trinta e cinco anos de idade, exceto que ele jamais adorou ídolos, está afirmação é consubstanciada pelos seu biógrafos, pode se afirmar que havia alguns outros poucos em Makkah que do mesmo modo, haviam se revoltado contra a prática insensata do paganismo apesar de manterem a sua fidelidade a Kaaba, como a casa dedicada ao Allah Único, por seu construtor Abraão (que a Paz esteja sobre ele).

Aproximadamente no ano 605 da era cristã, os panos que cobriam a parede externa da Kaaba se incendiaram, o edifício foi afetado e não suportou o peso das chuvas torrenciais, que se seguiram, a reconstrução da Kaaba foi então, empreendida, cada cidadão contribuiu, de acordo com as suas posses; e só era aceitas doações, provenientes de ganhos honestos. Todos participaram do trabalho de reconstrução, e os ombros de Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, ficaram feridos, de tanto carregar pedras, para identificar o local onde se inicia o ritual de circungi-la, aonde foi colocada a pedra negra, na parede da Kaaba que datava da época do próprio Abraão (que a Paz esteja sobre ele).

Houve rivalidade entre os cidadãos pela honra de recolocar a pedra em seu lugar, ao surgir o de correr sangue, alguém sugeriu que se deixasse o assunto por conta da Providência, e assim, se aceitasse o arbítrio daquele que ali chegar primeiro. Aconteceu que naquela Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele chegava para ajudar no trabalho, como era normal, ele era popularmente conhecido pela alcunha de al Amin (o honesto), e todos aceitaram o seu arbítrio.

Sem hesitar, Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele ele pediu um manto e colocou no chão, colocou a pedra sobre ele e pediu aos chefes de todas as tribos da cidade para juntos levantarem o manto, feito isto ele próprio colocou a pedra no seu lugar certo, em um dos cantos do edifício, ficando assim todos satisfeitos, eliminando assim a disputa. É desse momento em diante que encontramos Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, cada vez mais absorvido em meditações espirituais, como seu avô ele também costumava se retirar, durante o mês inteiro de Ramadan, para uma caverna em ”Jabal an Nur” (a montanha da luz), essa caverna é chamada de Ghári Hirá, ali ele orava, meditava e compartilhava as suas parcas provisões com os viajantes, que por ali viessem a passar.

A Revelação

Estava ele com quarenta anos de idade, e era o quinto ano consecutivo que iniciará os seus retiros anuais, quando, certa noite, próximo ao final do mês de Ramadan, um anjo veio visitá-lo, e anunciar que Allah o havia escolhido, como seu Mensageiro para toda a humanidade, e comunicou-lhe a seguinte mensagem Divina:

”Lê, em nome do teu Senhor Que criou; Criou o homem de algo que se agarra. Lê, que o teu Senhor é Generosíssimo, Que ensinou através do cálamo (caneta), Ensinou ao homem o que este não sabia.” (Alcorão 96:1 – 5).

Profundamente comovido, ele voltou para casa e contou o acontecido à sua esposa, expressando o seu temor de que pudesse Ter sido algo diabólico, ou feito por ação de espíritos malignos, ela o consolou, dizendo que ele sempre fora um homem caridoso e generoso, que sempre ajudou os pobres, os órfãos, as viúvas e os necessitados, e assegurou-lhe que Allah o protegeria conte todo o mal.

Sobreveio, então, um lapso na revelação que duraria mais três anos, o Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, deve ter sentido inicialmente um choque seguido por uma calmaria, um desejo ardente, e após certo tempo de expectativa, uma crescente impaciência, as novas da sua primeira visão haviam-se espalhado e, diante do lapso, os cépticos da cidade começaram a escarnecer dele e a contar piadas maldosas, chegaram ao ponto de dizer que Allah o havia abandonado.

Durante três anos de espera, o Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, se entregara mais e mais às orações e a outros hábitos espirituais, finalmente reiniciaram-se as revelações e Allah assegurou-lhe que de modo algum o havia abandonado; pelo contrário, fora Ele quem o guiara no caminho reto; que, portanto ele deveria cuidar dos órfãos e dos desamparados, e proclamar a generosidade que Allah tivera para com ele.

”Pelas horas da manhã, E pela noite, quando é serena, Que o teu Senhor não te abandonou, nem te odiou. E sem dúvida que a outra vida será melhor, para ti, do que a presente. Logo o teu Senhor te agraciará, de um modo que te satisfaça. Porventura, não te encontrou órgão e te amparou? Não te encontrou extraviado e te encaminhou? Não te achou necessitado e te enriqueceu? Portanto, não maltrates o órfão, Nem tampouco repudies o mendigo, Mas divulga a mercê do teu Senhor, em teu discurso.” (Alcorão 93:1 ao 11).

Na verdade esta foi uma ordem para pregar, outra revelação, mandou-o alertar as pessoas contra as práticas ilícitas, exortá-las a não louvar nenhuma outra divindade, além do Allah Único, e a abandonar tudo o que desagradasse a Allah.

”Ó tu, emantado! Levante-te e admoesta! E enaltece o teu Senhor! E purifica as tuas vestimentas! E foge da abominação! E não esperes qualquer aumento (em teu interesse), Mas persevera, pela causa do teu Senhor.” (Alcorão 74:2 ao 7)

Ainda outra revelação ordenou-lhe avisar aos seus próprios parentes mais próximos.

”E admoesta os teus parentes mais próximos. ” (Alcorão 24:214)

”Proclama, pois, o que te tem sido ordenado e afasta-te dos idólatras.” (Alcorão 15:94).

A Missão

O Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, começou anunciar a sua missão, primeiro secretamente entre seus amigos mais íntimos, depois entre os membros da sua própria tribo e dai por diante publicamente, pela cidade e pelos seus subúrbios, ele insistiu na crença no Allah Único e Transcendente, na ressurreição e no Juízo Final, conclamou os homens a caridade e a benevolência, e tomou as providencias necessárias para preservar, por escrito as revelações que estava recebendo, ordenando aos seus partidários que também as decorassem, e isto continuou durante todo o resto de sua vida, uma vez que o Alcorão Sagrado não foi revelado todo de uma só vez, mas em fragmentos, conforme surgia a ocasião para tal.

O número dos seus seguidores aumentou gradativamente; mas diante da denuncia do paganismo, a oposição também se tornou intensa, por parte daqueles que estavam firmemente ligados às suas crenças ancestrais, essa oposição degenerou, ao longo do tempo, na perseguição e na tortura física do Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, e daqueles que haviam abraçado o Islam.

Estes eram estirados sobre a areia escaldante, cauterizados com feros em brasa e presos com correntes nos pés, alguns deles morreram em conseqüência da tortura, mas nenhum renunciou ao Islam, em desespero, o Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, aconselhou os seus seguidores a deixarem a sua cidade de origem e a se refugiarem no exterior, na Abissínia, ”onde governa um rei justo, em cujo reino ninguém é oprimido”. Dezenas de muçulmanos se beneficiaram desse conselho, mas não todos, essas fugas em segredo incitaram uma perseguição maior, por parte dos senhores de Makkah, à aqueles que ficaram para trás. O Profeta Muhammad que a Paz e a Bênção de Allah estejam com ele, denominou a sua religião de ISLAM, isto é; submissão à vontade de Allah.

Que a paz e as bênçãos de Allah estejam com o profeta e Mensageiro de Allah, seus familiares, seus companheiros e seus seguidores até ao Dia da Ressurreição.